No rastro dos brasucas

Encontrei quatro nomes na lista dos alunos que me parecem ser de brasileiros.
Fiquei contente e ao mesmo tempo ressabiada, melhor não falar português com eles.
Ouvi uma menina de Curitiba conversando no jardim - tão fácil de entender...

E hoje de noite descobri por acaso um menino de São Paulo. Todo mundo empolgado na conversa e eu perguntei de onde ele era. "Brasilien". Pronto. Mas trocamos só meia dúzia de palavras em português, até por questão de educação com os outros, e concordamos conversar só em alemão.

Encontrei também o Bar Brasil aqui perto.
Acho que vou levar o pessoal lá pra tomar uma caipiurrrínia.

2 comentários:

  1. éééé... mas ouvi dizer que a caipirinha deles não é feita com limõ natural (depois me confirma essa informação). Eles utilizam uma espécie de pó, como suco artificial, para fazê-las. Imagina a cara dos Brazucas ao tomar? uurrgghh!!!!
    Mas enfim... resolvi testar, já que as minhas caipas aqui em Caxias são famosas!! hehehe
    Resultado: urrrgghhh... terrível!
    hahaha

    ResponderExcluir
  2. Huahuahauhauh... nããão, nada de limão em pó, aqui tem limão de verdade, sim. A nossa só estava um pouco aguada. Mas hoje fui a Köln e vi duas barraquinhas profissionais de caipirinha, de brasileiros mesmo. E outros nem tanto... eheh, depois posto um vídeo.

    ResponderExcluir