Chega de férias

A partir de hoje o blog volta à ativa. E de cara nova pra receber 2010! Espero que o novo layout agrade... a foto mostra a Catedral de Colônia e a ponte sobre o Rio Reno. Não moro nem trabalho em Colônia, mas por ser a minha cidade do coração (e ter fotos melhores do que Bonn e Brühl), foi a eleita para o título do Denke Ich...

Minha passagem pelo Brasil foi agridoce. Matei as saudades da minha família, comi arroz, feijão e bife até saltar pelos olhos, fui à praia e vi muitas pessoas importantes pra mim.

Por outro lado, tive a tristeza de perder um primo muito querido. Em menos de dois meses ainda perdi meus dois gatos e não consegui estar com todas as pessoas que eu queria.

Não consegui ver o pessoal do Aikido, nem meu amigo Carlos Rosasse. Não tomei cerveja com o Mariano no Mercado Público, nem com o Juliano na Trindade. Não consegui me reunir com o pessoal da faculdade, não joguei vôlei de praia com a Simone no Riozinho nem sinuca com a Bell.

A todos os amigos que "deixei na mão", peço desculpas. Não tive exatamente férias nesse tempo. Trabalhei nas três primeiras semanas (culpa da Deborinha) e depois acompanhei meu primo no hospital.

Quando me dei conta, 2009 se foi e eu estava em Congonhas, esperando pelo voo outra vez. Aquele aeroporto é como um rito de passagem, uma transição entre a realidade no Brasil e na Alemanha. Passo tanto tempo em trânsito que quando chego é como se tivesse saído do limbo.

Buenas, cá estamos novamente. A Alemanha nos recebeu a -1ºC, monocromática e coberta de neve.

3 comentários:

  1. Veio e deixou saudades... como um cometa que nem todos viram mas tomaram conhecimento de sua passada e mudaram suas vidas para sempre!!
    Saudades minha parte predileta de mim! Bjim, se cuida!
    Maninho...

    ResponderExcluir
  2. Olá, Francis. Gostaria de esclarecer uma dúvida sobre os procedimentos de vistoria de passageiros na chegada à Alemanha e também na saída. O que me preocupa são as máquinas scanner-body dos aeroportos, aquelas que, como você deve saber, mostram uma imagem "sem roupa" do viajante, tudo com o propósito de verificar se ele está trazendo algo escondido junto ao corpo. Sei que nos EUA esse procedimento é corriqueiro e muitas vezes feito sem qualquer respeito ao cidadão, como mostrado nas reportagens a seguir. Gostaria que relatasse como são essas vistorias na Alemanha, se existem tais máquinas, se é obrigatório passar por elas e se há agentes de imigração abusivos.

    http://joaomagrini.blogspot.com.br/2010/11/vergonha-nos-aeroportos-americanos.html
    http://illuminati-xdddre.blogspot.com.br/2012/04/historias-de-terror-fisico-e-ideologico.html

    ResponderExcluir
  3. Olá, Pesquisador. No aeroporto de Frankfurt, que é o principal da Alemanha, nunca passei por nenhum procedimento de body scanner. Há um detector de metais por onde você passa rapidamente. Se a máquina bipar, um funcionário do aeroporto vai com você até uma cabine com divisórias a meia altura, e usa um detector de metais portátil para fazer uma vistoria mais precisa. Mas eles nunca tocam em você. Eventualmente você precisa tirar os sapatos e passá-los pelo scanner de bolsas - esse sim faz um raio-X completo da sua bagagem de mão. Abs

    ResponderExcluir