Fátima Tchumá Camará, de Guiné-Bissau para o mundo

Minha colega de estágio chegou na DW dois meses antes de mim e foi embora 13 dias depois de eu chegar. Conversamos, de fato, umas duas vezes, mas a história de vida da Fátima me impressionou.

Aos 32 anos, casada e mãe de três filhos, o mais novo de 7 meses, o mais velho de 7 anos, ela saiu de casa no dia 16 de novembro e só deve voltar no dia 4 de fevereiro.

A Fátima mora com o marido, os filhos e uma sobrinha em Bissau, capital da Guiné-Bissau, na costa leste africana. O país tem mais ou menos 1,5 milhão de habitantes e sérios problemas de infra-estrutura. Na casa da Fátima não tem energia elétrica, a televisão e a geladeira funcionam com gerador a diesel.

Ela trabalha na Rádio Nacional há sete anos. Faz reportagem e grava boletins sem acesso a internet, e quem edita as matérias são técnicos em máquinas analógicas. A média de salário de um jornalista lá, ela me contou, é de 70 euros. Começou há pouco o curso de Comunicacao Organizacional e Marketing na Universidade de Bissau, onde o marido, jurista, tornou-se reitor no ano passado.

Pertencente à etnia Fula, muçulmana praticante, mas não fundamentalista, como ela própria se define, é casada por amor com um homem da etnia Cassanga, animista não praticante. Na Guiné-Bissau não temos conflitos entre etnias nem religiões, diz ela.

Seu pai morreu em 1998, no último dia da guerra civil com uma bala perdida, quando levava o café da manhã para a família que estava refugiada em um bunker do Ministério da Saúde. A mãe mora com seus outro cinco irmãos. Eram seis, mas uma irmã morreu aos 29 anos de uma doença repentina.

A primeira vez que Fátima veio à Alemanha foi no ano passado, para fazer um curso sobre jornalismo ambiental na DW Akademie. Além do trabalho na Rádio Nacional, ela também colabora com a Televisão Pública de Angola, TPA, e é membro da Associalção dos Jornalistas da África Ocidental.

Ela já esteve em Portugal, Senegal, Gâmbia, Níger, Burquina Fasso, Abidjã e Líbia. Este ano ainda vai a Cabo Verde e em janeiro a Brasília, como membro da Comissão da Conferência Internacional Infanto-Juvenil, Vamos Cuidar do Planeta - Brasil 2010.

3 comentários:

  1. Parabens para a Fátima pela garra e coragem na busca de um ideal, é dessas mulheres maravilhosas que o mundo precisa, e muito.Um abração para a Fátima e que a Luz do criador esteja sempre com ela.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Hummmm....aumenta aí a lista de fãs da Fátima!!!
    Com certeza o mundo se tornará muito melhor (mais humano e feliz) quando mulheres como ela etiveram no controle das grandes decisões. Dê nossos parabéns a Fátima!!! Diga para seguir seus sonhos e REALIZÁ-LOS!!! Estamos tb torcendo por ela. Bjsss.

    ResponderExcluir