A magrela adormecida

Já faz quase dois meses que herdei uma bicicleta do Johannes Beck e ainda não pude andar. Minha nova velha magrela está com os pneus murchos e o banco, alto demais pra mim, está emperrado por causa da ferrugem.

Nada que o Seu Alvair da mecânica ali do Campeche não resolveria pra mim em 10 minutos, mas você está na Alemanha, lembra?

Numa terça-feira dessas, fui na loja de bicicletas que tem na frente da minha casa. O tiozinho olhou pro ferro do assento enferrujado e disse que teria que serrar uma pecinha, mas que só poderia fazer isso no sábado. E que o banco emperrado não era com ele, eu teria que comprar removedor de ferrugem e desemperrar eu mesma.

Assim a magrela continua lá no porão. A tal pecinha enferrujada que o tio só ia poder serrar no sábado eu arranquei a martelada. Mas o banco nem se mexe. Um tio turco gente boa que tem uma loja aqui perto até me emprestou um removedor de ferrugem, mas não fez nem cócegas. Essa semana vou levar numa outra oficina que me recomendaram, pra ver se tem um pessoal mais disposto.

Que saudade do Seu Alvair.

5 comentários:

  1. kkkk...
    Manda a magrela pelo correio,
    Levo no Seu Alvair, ela arruma e te devolvo!!!
    que tal????
    kkkkk.....
    super bjsssssssssssss
    muitas saudadessssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Oi Fran!
    Pois é, o meu mecânico aqui em Floripa e doutor das bikes fica bem perto do viaduto do CIC, abaixo da passarela. Além de consertar a magrela jogamos papo fora, bem legal.
    Mas é só sair pela rua que os ônibus só não passam por cima da gente porque vai sujar as rodas, total desrespeito... Além do imposto sobre peças de bike só subir, enquanto os carros ficam sem IPI... Não é a terra onde a bicicleta é amada... Ai, pelo que me falam a nossa amiga magrela é mais respeitada. Faz uma forcinha e conserta ela. Não imagina a (boa) inveja que vai me deixar sabendo que esta pedalando pela Alemanha! Te cuida! Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Hehe, você tem razão, Carlos. As bikes aqui são amadas e respeitadas, tem ciclovia na cidade inteira, e quando não tem, as bicicletas andam na pista junto com os carros e têm preferência sempre. E como paixão puxa inflação, aqui também tem bicicleta mais cara do que carro! Mas uma usada se consegue encontrar aí por 100 euros.
    A minha foi doada, vou que cuidar dela, pode deixar!
    Saudades, meu amigo, beijão!

    ResponderExcluir
  4. Ja experimentou a atacar a ferrugem com gasoleo (combustivel para motor Diesel)? Fazia milagres com minha velha bicicleta.

    ResponderExcluir
  5. Francis my love,
    leva na Radstation, ali no Hauptbahnhof. Quem vai consertar tua bici são jovens ("desprivilegiados", como dizem por aqui) que fazem parte de um programa da organização Caritas. É baratim! Já troquei as placas de freio da minha magrela por uns 20 euros. Mas imagino que o custo de baixar um banco seja bem mais ridículo que uma bem fornida nota azul.

    ResponderExcluir