Natal no Inverno

É a primeira vez que passo o Natal na neve - e é também a primeira vez longe da minha família, o que deixa a coisa toda, ainda que excitante, difícil.

Acho que gosto mais do Natal no inverno, com todo esse clima aconchegante, mas ainda prefiro o ano novo no verão, pra pular as sete ondas e nadar à meia noite. É, eu sei que tô pedindo demais.

Aqui o mais legal são os mercados de Natal. No fim da tarde, o pessoal sai do trabalho e se reúne no Weihnachtsmarkt (pois, o mercado de Natal, se pronuncia vainárrtsmarkt) para tomar vinho quente, o Glühwein, que é parecido com o nosso quentão de festa junina, mas não é tão cheio de condimentos - o que eu prefiro (não muito sou chegada no cravo).























Tem também cerveja, lógico, e todas as guloseimas alemãs que se possa imaginar. Salsichas de todos os tamanhos, sanduíche de bisteca de porco acebolada, panquecas fritas de batata com mousse de maçã, sanduíches com filé de peixe empanado dentro, flammkuchen, que são como pizzas bem finas cobertas com creme de leite, queijo e bacon. Nos doces, além de frutas com chocolate, têm também milhares de tipos de biscoitos, bolos, mil-folhas... enfim, é uma perdição. E tudo light, como se pode perceber. Mas como nem só de pão vive o homem, também há barraquinhas que vendem todo o tipo de artesanato e outras coisas fofas para se dar de presente de Natal.

Difícil é o frio. Essa semana fui lá com os amigos da DW - Nádia, Diego, Thiago e Dayse. Tomamos dois copos de Glühwein e não aguentamos mais ficar na rua. O frio de 6ºC negativos congelou os nossos pés e a dor era como se as unhas estivessem sendo arrancadas dos dedos. Amarelamos e fomos cada um pra sua casa. Não sei como o povo aguenta ficar lá horas a fio.

Agora só se fala no Weisse Weihnacht (Natal branco - quando neva). Pro alemães, com seu milhão e meio de tradições, Natal só vale se nevar. Aliás, o Natal em alemão é substantivo feminino: die Weihnacht (a Natal).

Eu não vou estar em Bonn, vou pra Lille, na França, passar com a família do meu namorado. Mas já peguei a mania e estou torcendo para que a gente tenha um Natal branco por lá também.

Feliz Natal para todos! Da cor que for :-)

Meu primeiro calendário de Natal

Apesar de o Natal ser meio parecido no mundo (cristão) todo, existem algumas tradições que eu vim conhecer aqui na Alemanha. Como o calendário de natal. É uma caixa com 24 portinhas numeradas.

A ideia é abrir uma portinha de cada vez, do dia 1 ao dia 24 de dezembro, em contagem regressiva até o Natal. Dentro das portinhas geralmente há doces ou brinquedos (tem gente que faz com cerveja também). No meu vêm bonequinhos de chocolate.

Andando pelas lojas, vi calendário de Natal de tudo que é tipo, tamanho e preço. E ainda tem gente que prefere fazer o seu em casa, artesanalmente.


















Estou seguindo o meu religiosamente .