Por que na Alemanha não tem arrastão em bar

A nova moda entre os criminosos de São Paulo é entrar armado em restaurante, de preferência em bairro chique, e assaltar todo mundo. Tem acontecido quase todo dia. O comentário de uma leitora em um post polêmico do Blog do Sakamoto chamou a minha atenção. Ela disse que em países "civilizados", isso não aconteceria. Suposição correta, justificativa errada.

Na Alemanha, arrastões em bares não acontecem por alguns motivos simples. Primeiro, porque na Alemanha os pobres não são tantos nem tão pobres como no Brasil. Segundo, porque na Alemanha os ricos também não são tão ricos quanto no Brasil. Além do mais, a educação de qualidade e a formação profissional são acessíveis a praticamente 100% da população, e a criminalidade é tratada como problema estrutural.

Então não é uma questão de "civilidade", de "boa educação", mas de justiça social. Esse simples fator elimina aquela raiva que faz os mais pobres quererem tomar o que é dos ricos à força, para satisfazer um desejo de vingança pelo desrespeito aos seus direitos fundamentais.

A violência no Brasil é fruto da mentalidade de uma classe rica que considera a pobreza um estorvo e acha que não tem nada a ver com isso; e de uma classe pobre que se acha coitadinha e que, em vez de exercer pressão social nas urnas, ri de si mesma ao votar em "tiriricas" e prefere roubar de quem tem mais - mesmo daqueles que conseguiram o muito que têm com trabalho, não por corrupção. 

E a arena para toda essa tensão é um consumismo esquizofrênico e desproporcional à capacidade financeira dos brasileiros - que acham que precisam de uma TV gigante ou de um iPad, mesmo que ele seja um item supérfluo, inútil e custe cinco vezes mais do que nos Estados Unidos, em cujo padrão de consumo o Brasil erroneamente se inspira.

A crítica não se aplica, é claro, àqueles que, mesmo com alto poder aquisitivo, são conscientes e não perdem a perspectiva sobre a sociedade, e também aos muitos pobres que, apesar das dificuldades, são honestos e trabalham duro para ganhar a vida com dignidade.

O Brasil é violento porque é injusto e ganancioso. E ainda não entendeu que, como na Alemanha, por exemplo, o importante é ser um país rico, e não um país de ricos.

9 comentários:

  1. Boa, Fran. É isso mesmo! Beijos, Daniel Medeiros

    ResponderExcluir
  2. Muito verdade (em partes), esse consumismo não é maior no Brasil, nem na Alemanha nem na Bulgária, ele é global e está ai na sua cara, no seu quintal.
    Aprenda a ver o mundo como um todo, e menos vira lata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, Cristofer, eu só não entendi se você concorda ou discorda do post - e não saquei se a última frase é uma reflexão ou um insulto... ?

      Excluir
  3. Basta voltar um pouquinho no tempo, e lembrar do caso metrô Higienópolis, exemplo clássico do quanto somos "provincianos", por assim dizer...

    ResponderExcluir
  4. Concordo em gênero, número e grau.

    ResponderExcluir
  5. Primeira vez que estou passando por aqui e eu concordo contigo. Também moro na Alemanha e é exatamente o que vc disse, os pobres näo säo täo pobres assim...
    Posso linkar seu blog?

    ResponderExcluir
  6. Muito bem pensado e colocado; concordo plenamente. Só trocaria "tiriricas" por "lullas, dilmas e comparsas".

    ResponderExcluir