A sabatina da aspirina

Da última vez que fiquei resfriada, fui à farmácia pra comprar um antigripal qualquer. Pedi comprimidos para resfriado e a atendente me perguntou: quais os sintomas?

Eu: "oi?"

Ela pacientemente me explicou que se eu estivesse com febre e dor de cabeça, o melhor seria tomar o remédio X, mas se o problema fosse tosse e dor de garganta, ela indicaria o Y - e disse mais um monte de coisa que eu nunca tinha pensado sobre gripe. Como nunca tive que explicar sintomas de resfriado em farmácia, levei um tempo até encontrar o vocabulário em alemão, e ela acabou por me dar um remédio que também combateria a tosse que "provavelmente viria a seguir".

Com tanto profissionalismo, virei freguesa.


2 comentários:

  1. Eu achei bem legal em Colonia quando fomos a uma farmácia comprar um anti alergico parao meu marido e o farmaceutico foi todo atencioso, perguntou sintomas e tudo mais. Aqui não rola muito isso não.

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Aqui não rola nada disto, e, se a gente perguntar demais, já ficam irritados. Se bem que dificilmente se é atendido por farmacêuticos, são só atendentes que não sabem nada...Aff, aí é outro mundo mesmo!

    ResponderExcluir