Ninjas do inverno

Manhã de quarta-feira, quatro graus negativos lá fora, mistura de chuva e neve -- que combina o molhado da chuva com o flutuar teleguiado da neve para dentro do seu casaco --, você tentando se enterrar dentro dos próprios ombros enquanto espera pelo ônibus e do seu lado passa quem? Um ciclista. Numa boa, como se estivéssemos na primavera.

Conheço muita gente -- inclusive amigos brasileiros ultra-adaptados, mas não vamos citar nomes ;-) -- que não deixa de ir pro trabalho de bicicleta por nenhuma condição meteorológica.

Aqui na Alemanha costuma-se dizer que não existe tempo ruim, mas roupa errada. Até porque se alguém for esperar tempo bom pra fazer alguma coisa, faz muito pouco.

Pois os ciclistas das baixas temperaturas também têm suas artimanhas. O primeiro truque são as roupas térmicas, também chamadas de funcionais, leves, que se bota por baixo. Levar um sapato extra pra quando chegar no trabalho ajuda a manter os pés secos e quentes. Luvas, cachecol, gorro e proteção extra para a orelhas também são indispensáveis (o nariz vai congelar, não tem jeito). Outra grande sacada é a capa de chuva especial para bicicletas que, segundo os experientes, protege mais da chuva/neve do que andar a pé de guarda-chuva.




Considerando o clima e todas as possibilidades de transporte público disponíveis, admiro a determinação dos ciclistas do inverno. Assim como se admiram triatletas, que a gente acha o máximo, mas nunca faria o mesmo...

2 comentários:

  1. Ano passado em colônia, vi pessoas correndo debaixo de garoa, acompanhando o rio Reno, naquele veeeento, de legging e camiseta, como numa manhã fresca de primavera brasileira... Fiquei com frio por eles.. Jamais conseguiria, mas admiro tbm... hehehe

    ResponderExcluir
  2. POis é... eu tenho uma capa de chuva do tipo da moca da foto e nao foi aprovada, pois conforme a gente anda o vento levanta para cima a ponta da capa e fica-se toda descoberta, ainda estou procurando o modelo ideal.

    ResponderExcluir